Convites e artigos de papelaria para casamentos em origami e pop-up

O origami ou dobradura é uma técnica que utiliza apenas dobras para construir formas, sejam elas abstratas ou figurativas, bidimensionais ou tridimensionais.



"Oru é o verbo japonês que significa dobrar e "kami" que flexionado vira "gami" significa papel.

O origami tradicional parte de um único papel para confeccionar as mais diversas formas.

O origami modular não é aceito pelos origamistas mais tradicionais, pois além das dobras também utiliza encaixes. Nesse tipo de origami, vários pedaços de papéis são dobrados do mesmo jeito e após encaixados, formam uma figura.

O pop-up é uma técnica que utiliza cortes, dobras, costuras e encaixes numa superfície plana (o papel) para a construção de formas tridimensionais ou bidimensionais interativas.

Essa técnica também é conhecida pelos seguintes nomes: cartão tridimensional, origami arquitetônico, paper engineering, movable books ou kirigami ("kiru" é o verbo que em japonês significa "cortar" e "kami" significa "papel").

No Japão, a origem dessa prática vem do origami tradicional e do kirie ("kiru" que significa "cortar" e "e" que significa "desenho") e sua difusão pelo mundo é atribuída principalmente ao trabalho de Masahiro Chatani, arquiteto e designer, que batizou a técnica com este nome. Com o tempo, os modelos dos cartões de Chatani foram reunidos em livros que ensinam essa técnica e foram exibidos em exposições nos Estados Unidos e Europa.

Mas o surgimento do pop-up é muito mais antigo. Na primeira metade do século XIII, Mathew Paris, historiador inglês, artista e monge beneditino, utilizou mecanismos de elementos rotatórios (vouvelles) em papel para determinar datas de feriados cristãos, sendo assim, o primeiro registro do uso de um elemento pop-up.

Sendo assim, apesar de, atualmente, termos a idéia de que os livros pop-up ou movable books sejam voltados ao público infanto-juvenil, no início, essa produção era voltada aos adultos, já que os primeiros livros infantis só surgem na segunda metade do século XVIII.

Há inúmeras possibilidades de criação através destas técnicas, pois elas permitem desde a construção de uma figura simples, bela e harmônica até algo mais complexo e tridimensional.

Os convites encantam todas as idades, pois através de um ato simples, o de abrir um cartão, é possível se surpreender com uma bela imagem construída manualmente ou transformar algo bidimensional em tridimensional.

É possível também fazer através dessas técnicas vários outros artigos para casamentos: cardápios, móbiles, reservas de mesa e porta guardanapos, são alguns desses itens.

artigo enviado por:

Cintia Namie Mori

Atelier Kami - Artesanato em papel

Convites e artigos de papelaria para casamentos

www.atelierkami.com